Controlar as despesas pessoais é uma tarefa árdua, principalmente quando se trata das despesas de uma família. Despesas referentes à saúde, por exemplo, chegam quando menos esperamos e temos que estar preparados. E embora seja uma missão difícil, há como se prevenir para não ser pego de surpresa.

Quando se deseja controlar as despesas de uma família é necessário responder algumas perguntas:

1º – Quem deve controlar as despesas?

2º – Qual é a renda da família?

3º – Quanto cada um dos membros contribuirá para as despesas?

4º – Como as despesas devem ser divididas?

5º – E quando os salários sãos diferentes, a divisão deverá ser igual?

6º – Como controlar as despesas extras?

Bom, vamos responder essas perguntas considerando a vida de um casal. Quando se é sozinho controlar as despesas é uma tarefa fácil, mesmo porque as prioridades são diferentes. Mas quando se é casado, o cenário muda. Querendo ou não, o pronome possessivo na 1ª pessoa do singular, MEU, passa para 1ª pessoa do plural, NOSSO. Ao começar uma família o controle deixa de ser individual, mesmo porque além das contas pessoais de cada integrante haverá também a conta do casal, como empréstimos financeiros, aluguel de imóvel, energia elétrica, água e esgoto, entre outros. O ideal é que ambos auxiliem no controle, principalmente quando as visões são diferentes. É essencial analisar todos os lados até que ambos cheguem ao mesmo consenso.

Da mesma forma deve acontecer no momento de estabelecer a renda familiar e se todos os integrantes devem contribuir. Essas questões devem ser discutidas entre o casal. Se ambos trabalham e recebem igualmente, acredito que ambos devem contribuir seja da forma que for. O mesmo vale para as tarefas de casa. Mas cada caso é um caso. Há casais que decidem não compartilhar as despesas ou não compartilhar de forma igualitária, principalmente quando há diferença entre os salários. Não tem como você contribuir com 50% das contas se o seu salário é inferior as despesas. Nesse caso seria conveniente a divisão proporcional.

A parte mais difícil do controle financeiro são as contas extras. São contas que não estão no orçamento, que chegam de forma inesperada. O melhor método para controlar pode ser respondido por uma frase: ESPERE O INESPERADO. Ter uma reserva no banco para situações extraordinárias é essencial e sempre será a melhor opção para esses casos. Quando não se tem uma reserva o casal acaba sendo obrigado a atrasar algumas contas e acaba virando uma bola de neve sem o controle certo, interferindo até mesmo na relação do casal.

Vale ressaltar que o controle de despesas e receitas deve ser feito da maneira que achar melhor, desde que este te dê uma visão detalhada das suas finanças. Há vários métodos de fazer esse controle por escrito e no próximo artigo citarei alguns deles.

Share

Deixe uma resposta