Provavelmente você deve ter assistido vários vídeos sobre acidentes de trabalho. E provavelmente você deve ter dado boas gargalhadas de muitos. Alguns realmente são engraçados, mas a intenção de todos esses vídeos não são alegrar a sua vida, mas sim chamar sua atenção para os riscos que você corre todos os dias no ambiente de trabalho.

De acordo com a Legislação, empresas que possuem empregados em regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) devem obedecer às normas regulamentadoras relacionadas à segurança e medicina do trabalho. A mesma deve fornecer a todos seus colaboradores, condições favoráveis para a execução de quaisquer atividades sem colocar em risco a saúde e integridade física do trabalhador. Para isso cabe a empresa implantar as normas de segurança, informar aos trabalhadores a existência delas e fiscalizar sua execução. E aos trabalhadores, cabe exigir e obedecer às normas, e assim proteger a si mesmo e aos colegas.

Mesmo diante disso o Brasil registra em torno de 700 mil acidentes do trabalho por ano e esse número tem sido crescente. A Revista CIPA divulgou em seu site em janeiro de 2015, dados do Ministério da Previdência e Assistência Social referente aos acidentes de trabalho no ano de 2013, citando principalmente os acidentes de trajeto e doenças do trabalho.

Esse aumento nos acidentes de trabalho se deve a vários fatores, principalmente na combinação de negligências por parte das empresas e empregados. Excesso de jornada de trabalho, falta de informação e capacitação de funcionários, mau uso ou ausência de equipamentos de proteção, descumprimento das normas de segurança, falta de investimento em prevenção, falta de fiscalização do poder público e pressão por produtividade são alguns dos fatores para ocorrência de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

Ao ser admitido em uma empresa, o funcionário deve procurar saber dos riscos que a atividade a ser exercida lhe oferece, como físicos, químicos, biológicos e ergonômicos e quais as proteções disponíveis para evitá-las ou minimizá-las. Este, não deve fazer nenhum tipo de atividade sem conhecimento ou treinamento e se necessário fazer jus ao direito de recusa em caso de situação de risco grave e iminente, sendo esse garantido pela constituição federal. Obedecer e ajudar a fiscalizar as regras e normas da empresa assegurando a sua integridade física e a do seu colega também deve ser de responsabilidade do empregado.

No caso das empresas, certifique-se que as normas regulamentadoras estão sendo obedecidas por todos, desde o chão de fábrica à gerência, sem distinção de cargo ou setor. Não coloque em campo funcionários sem capacitação ou em ambientes inseguros e forneça treinamentos, palestras e cartazes informativos sobre a importância da segurança no trabalho. É também responsabilidade do empregador, fornecer todos os EPI’s necessários para execução de cada atividade e cobrar do funcionário o seu uso adequado.

Por esses e outros motivos, a segurança no ambiente de trabalho se torna responsabilidade de todos. Manter o ambiente seguro é obrigação do empregador, mas em caso de acidentes o principal prejudicado é o empregado. Portanto, ambos devem ser conscientizados dos seus direitos e deveres dentro das normas regulamentadoras relativas à segurança e medicina do trabalho.

Share

Deixe uma resposta